icon feira do livro 2021 png.png

Diretora

24 de setembro a 5 de outubro de 2022

Parque do Sorraia

Junto à entrada principal da Praça de Toiros

 

A 37.ª edição da Feira do Livro de Coruche, que resulta de uma parceria entre Câmara Municipal de Coruche, projeto Pontes para a Igualdade, Biblioteca Municipal e Bibliotecas Escolares, acontece de 24 de setembro a 5 de outubro em pleno Parque do Sorraia, mantendo um programa repleto de atividades que a caracterizam. Além da apresentação de livros e de sessões de autógrafos com os autores, a feira traz-nos música, animação e sessões de leitura, mas também apontamentos literários e culturais como aqueles proporcionados pelo grupo “Um Poema na Vila” ou pelo Festival Internacional de Teatro e Artes para a Infância (FITIJ). A cerimónia inaugural realiza-se junto à Praça de Toiros de Coruche no dia 24, pelas 18 horas. A entrada é livre, todos os dias, das 10 às 20 horas nos dias úteis e até às 22 horas aos fins de semana. Os descontos de 15% em livros do Plano Nacional de Leitura para alunos do Concelho são mais um de entre muitos atrativos da feira.

 

“Saxophone Cocktail” é o apontamento musical que “abre o livro” da feira, inaugurada ao som do saxofonista Dandy Sax em espaço próprio, instalado junto à Praça de Toiros de Coruche, no Parque do Sorraia. De 24 de setembro a 5 de outubro são numerosos os autores presentes e os livros apresentados, bem como as sessões de animação de leitura e os apontamentos culturais complementares. Na 37.ª edição da Feira do Livro de Coruche, que conta com o apoio da distribuidora literária Ao Pé das Letras, os visitantes podem assistir a diversas apresentações literárias, com especial destaque para a diversidade de autoras e autores locais, apontamentos culturais em parceria com o FITIJ ou para a sessão da tertúlia “Um Poema na Vila”, vinculada ao tema "Dei o Mar à Palavra”, que conta com a presença da Cátedra Eugénio Tavares de Língua Portuguesa - unidade criada em parceria pela Universidade de Cabo Verde e pelo Instituto Camões.

 

O programa da primeira semana de Feira do Livro dá desde logo lugar, a 27 de setembro, pelo meio-dia, a uma conversa com José Ribeiro da Cunha sobre a sua obra “Um Privilégio”. O privilégio estende-se, aliás, a dia 28 de setembro, quando, pelas 10 horas, acontecem as primeiras sessões de animação de leitura com a autora de literatura infantil Eugénia Dias, que, às 17h30, apresenta também o seu livro “Esperança” (Editora Flamingo). Já a 29 de setembro, quarta-feira, acontecem, pelas 10 horas, sessões de animação de leitura com a autora de literatura infantil Ana Catarina Silva e, às 17h30, a apresentação do livro “Nini e Simão – A Aventura da Alimentação” (Editora Alfarroba), pela pena da mesma autora.

 

A 30 de setembro, às 10 horas, a autora infantil Tânia Caiado Amaral dinamiza as sessões de animação de leitura e, às 15h30, apresenta o livro “De que cor é a saudade?” (Editora Flamingo). No mesmo dia, pelas 17h30, tem ainda lugar a sessão de poesia e tertúlia “Um Poema na Vila”, dedicada ao tema “Dei o Mar à Palavra”, com a Cátedra Eugénio Tavares de Língua Portuguesa. A semana fecha a 1 de outubro, sexta-feira, com mais uma sessão de animação às 10 horas, desta feita com a autora de literatura infantil Ana Luísa Silva, que apresenta depois, às 17h30, o livro ”Onde Está o Abraço?” (Editora Flamingo).

 

No fim de semana de dias 2 e 3 de outubro a Feira do Livro de Coruche apresenta, no sábado, às 11 horas, o livro “Palavras Soltas“, de Marília Rosado, e, às 16 horas, o livro “De Atégina a Maria: o Sagrado Feminino no Território Português” (Editora Apenas Livros), de Aurélio Lopes. No domingo, pelas 16 horas, a autora Maria Mestre dá a conhecer o livro de poesia “A Minha Vida em Poemas” (Editora Apenas Livros). A agenda reinicia-se às 12 horas de 4 de outubro, segunda-feira, à conversa com João Valente Martins sobre a sua obra de teor económico “Teoria Geral da Prosperidade” e prossegue, às 18 horas, com um apontamento cultural em parceria com o FITIJ e a dupla de artistas circenses e burlescos Les Globules Bleus, que oferece um espetáculo visual de malabarismo, nova magia e monociclo. Os “glóbulos” Sylvain e Marc transportam-nos para um universo mágico e poético onde o malabarismo e a ilusão desafiam as leis da lógica e da gravidade.

 

Finalmente, a 5 de outubro, a Feira do Livro conclui-se às 18 horas com a esperada apresentação da obra “Sabores do Toiro Bravo”, editada pelo Município de Coruche, e, às 19 horas, com o espetáculo da companhia Menzo Menjunjes em parceria com o FITIJ. Menzo, um palhaço de assinalável humor próprio, absurdo, irónico e provocador que já se apresentou em mais de 80 festivais internacionais em 25 países de América Latina e Europa, promete encerrar a feira com gargalhadas em ambiente festivo.

 

Sublinhe-se que o evento tem em consideração todas as recomendações da Direção Geral da Saúde (DGS), pelo que a entrada é limitada a 60 pessoas em simultâneo e o uso de máscara é obrigatório no interior do recinto.

Programa da Feira

programa-feira-livro-2021.jpg

Autoras/es e Obras

um_privilegio.jpeg

José Ribeiro da Cunha

Obra: Um Privilégio (Chiado Books)

Na programação da feira:

  • 27 de setembro / 12h às 13h / Recinto da feira - À conversa com o Autor sobre a sua obra "Um Privilégio"

  • 28 de setembro / 15h / Escola Profissional de Coruche - À conversa sobre a obra "Um Privilégio" com os alunos das turmas do Curso Profissional de Turismo da Escola Profissional de Coruche (atividade exclusiva às turmas)

José Lourenço Coruche Ribeiro da Cunha nas­ceu a 5 de dezembro de 1967 em Lisboa, mas foi muito cedo para Coruche, onde ainda vive. É na Quinta Grande, sociedade de família, que se inicia como técnico agrícola, tarefa que ainda hoje exerce com dedicação pela paixão que tem ao campo. É também aqui recebe nova graça, logo desde pequeno, a tal de Zé da Quinta, que perdura até hoje. Ainda menor de idade, entra nos bombeiros da vila, onde fica durante 20 anos, 12 dos quais no comando, com destaque para a missão de um mês em Moçambique. É também aqui como vo­luntário que inicia, em 1989, o primeiro curso da sua atual profissão como Técnico de Emergên­cia Médica, função que ocupa orgulhosamente no INEM, para além de responsável multimédia do mesmo instituto. Ao longo dos anos, a crescente inclinação por querer capturar momentos e lugares leva-o a as­sumir-se, em 2005, como fotógrafo, assinando profissionalmente como Zé da Quinta - ainda que, nos últimos anos, a produção e realização de vídeo tenha substituído a máquina fotográ­fica. É esta paixão pela imagem, o espírito de aven­tura e o respeito e carinho pela natureza que o levam a palmear esse mundo fora, não descuran­do a sua fé e enorme devoção a Fátima, sempre consigo nos momentos de busca e de inquietude, da Cova da Iria a Santiago de Compostela.

esperanca.png

Eugénia Dias

Obra: Esperança (Flamingo)

Na programação da feira:

  • 28 de setembro / 10h às 12h / Recinto da feira - Sessões de animação da leitura com a autora

  • 28 de setembro / 17h30 / Recinto da feira - Apresentação de livro “Esperança”

Nasci e fui criada no concelho de Coruche. Sendo esta a minha terra natal, nunca me imaginei a viver noutra, tanto que foi aqui criei as minhas raízes. Foi onde constituí a minha família e é onde desempenho a minha profissão. Licenciada em Animação Cultural e Educação Comunitária, em Santarém, confesso que o mundo das crianças, da leitura e da aventura sempre me fascinou, pois permite-me viajar para o universo da imaginação e ajuda-me a criar novas histórias de sonhar e encantar. Embora há alguns anos a esta parte a minha profissão seja direcionada especificamente para a Educação e Formação de Adultos, sempre tive o sonho e/ou objetivo de poder dedicar parte do meu tempo à escrita. Desta forma, tendo como inspiração as minhas filhas e tudo o que me rodeia, criei esta história que acho que vai encantar miúdos e graúdos. Vai-nos ajudar a valorizar da melhor maneira o que de melhor o ser humano tem e que é poder relacionar-se com os outros e, sobretudo, permitir que a ESPERANÇA que existe em nós nunca desapareça.

nini-simao.jpeg

Ana Catarina Silva

Obra: Nini e Simão: A aventura da alimentação (Alfarroba)

Na programação da feira:

  • 29 de setembro / 10h às 12h / Recinto da feira - Sessões de animação da leitura com a autora

  • 29 de setembro / 17h30 / Recinto da feira - Apresentação de livro “Nini e Simão: A aventura da alimentação”

Ana Catarina Silva é Licenciada em Enfermagem, Pós‑graduada em Cuidados de Saúde Primários, Pós‑graduada em Intervenção em Feridas, Mestre em Enfermagem em Pessoa em Situação Crítica e Especialista em Enfermagem Médico‑Cirúrgica. Atualmente exerce a profissão na qual se formou, mas é assumidamente apaixonada pela magia da leitura e escrita infantojuvenil. É neste mundo que gosta de entrar nos tempos livres. Gosta de criar histórias, mas acima de tudo dar‑lhes sentido prático. Tem um grande gosto pela saúde na comunidade, pelo que pretende enriquecer os conhecimentos da faixa mais jovem da nossa sociedade para a adoção de comportamentos saudáveis.

dequecoreasaudade.png

Tânia Caiado Amaral

Obra: De que cor é a saudade? (Flamingo)

Na programação da feira:

  • 30 de setembro / 10h às 12h / Recinto da feira - Sessões de animação da leitura com a autora

  • 30 de setembro / 15h30 / Recinto da feira - Apresentação de livro “De que cor é a saudade?”

Corria a década de 80 quando Évora viu nascer a Tânia. Rebelde e franzina, de olhos azuis e caracóis loiros, a sua infância decorreu na aldeia de Brejoeira (Coruche). Cresceu rodeada pela natureza, fez viagens de bicicleta ao por do sol, saltou nas poças de água e guarda até hoje o cheiro a terra molhada da sua infância. Rumou a Lisboa com 18 anos para dar continuidade ao seu sonho de estudar: licenciou-se em enfermagem, especializou-se em enfermagem pediátrica e atualmente está a concretizar uma licenciatura em medicina. É nas crianças que continua a depositar a esperança de um mundo onde a reine a alegria de ser livre. Apaixonada pela escrita e pela natureza. Apaixonada por pessoas: é nos seus filhos e no seu marido que encontra a sua maior fonte de amor e inspiração. Apaixonada pela vida.

onde_esta_abraco.jpeg

Ana Luísa Silva

Obra: Onde está o abraço? (Flamingo)

Na programação da feira:

  • 1 de outubro / 10h às 12h / Recinto da feira - Sessões de animação da leitura com a autora

  • 1 de outubro / 17h30 / Recinto da feira - Apresentação de livro “Onde está o abraço?”

Ana Luísa, Educadora de Infância. Mais do que uma profissão, é um Amor da minha vida. Desde que me conheço por gente, sempre gostei de ouvir histórias; o que remonta à minha infância, ao tempo em que a minha avó Custódia me contava histórias que guardava na sua memória pois ela não sabia ler...Foi aí, sentadas junto ao lume de chão, com torradas a fazer mesmo ali, com cheiro a café que borbulhava, com estalar dos paus a arder, que me contou as histórias que despertaram em mim o gosto pela escrita. A escrita de histórias infantis permite-me conservar a minha criança, ter os pés e cabeça nas nuvens, viajar pelo mundo maravilhoso e mágico da Imaginação!

PalavrasSoltas.jpeg

Marília Rosado

Obra: Palavras Soltas (Marília Rosado)

Na programação da feira:

  • 2 de outubro / 11h / Recinto da feira - Apresentação de livro “Palavras Soltas”

Marília não é urbana! Por meio dos seus poemas ficamos a conhecer melhor um lado bastante instigante de Marília Rosado. Um brado de amor por seu Ribatejo expõe a raiz forte fincada no chão às margens do rio Sorraia. De suas palavras ouve-se ecos da sua terra que lhe é inspiração. No belo poema Coruche, Terra Amiga, faz a provocação: Ribatejanos, quem somos nós? E com as tintas da lezíria do Sorraia nos apresenta o quadro da sua existência como filha da pequena vila portuguesa, e única de pai e mãe que acompanhou até o último momento. Arrependimentos por não ter amado mais direciona o meu olhar para a extensão da doação de Marília. Sim, ela ama demais! Marília é contemporânea! Percebe que é possível romper a barreira do silêncio que traz sofrimentos. Diz sim a descobrir quem é! Sabe e aceita viver quem é. Sem deixar as memórias decide criar caminhos para surgir a Marília de hoje. Uma certa nostalgia nos leva a percorrer tempos e espaços sob a sua guia. Entendemos melhor o amor perdido entre “pensamentos, sonhos e sofrimentos” e despido de razões e porquês. Um despertar esdrúxulo quase a tocar na “cor, sorriso, traços de magia”. Vive intensamente tudo e todos que lhe chegam. Em “Quantas iniciais foram iguais” chega quase à exaustão em um jogo velado! Marília, enfim, encontrou a Poesia que traduz em Poemas.

aureliolopes.jpg

Aurélio Lopes

Obra: De Atégina a Maria: O sagrado feminino no território português (Apenas Livros)

Na programação da feira:

  • 2 de outubro / 16h / Recinto da feira - Apresentação de livro “De Atégina a Maria: O sagrado feminino no território português”

É Professor do Ensino Superior. Licenciado em Antropologia Social, Mestre em Sociologia da Educação, Doutorado em Antropologia Cultural pelo ISCSP – Instituto Superior de Ciências Sociais e Humanas. Coordenador do Fórum Ribatejo e das coleções Raízes e Antropologia da Editora Cosmos. Tem-se debruçado sobre a cultura tradicional, especialmente no que respeita à Antropologia do Sagrado e às suas representações simbólicas e festivas, práticas tradicionais culturais e cultuais, nomeadamente no que concerne à religiosidade popular e às suas relações sincréticas com raízes ancestrais e influências mutacionais modernas.

icon feira do livro 2021 png.png

Maria Mestre

Obra: A minha vida em poemas (Associação de Defesa do Património de Coruche / Município de Coruche / União de Freguesias de Coruche, Fajarda e Erra)

Na programação da feira:

  • 3 de outubro / 16h / Recinto da feira - Apresentação de livro “A minha vida em poemas”

Maria Mestre

teoria-geral

João Valente Martins

Obra: Teoria Geral da Prosperidade (Asprint)

Na programação da feira:

  • 4 de outubro / 12h às 13h / Recinto da feira - À conversa com o Autor sobre a sua obra “Teoria Geral da Prosperidade”

João Valente Martins

toiro-bravo.jpg

Município de Coruche

Obra: Sabores do Toiro Bravo (Município de Coruche)

Na programação da feira:

  • 5 de outubro / 18h / Recinto da feira - Apresentação de livro “Sabores do Toiro Bravo”

Os sabores do Toiro Bravo A carne de toiro bravo é ainda desconhecida da grande maioria dos gastrónomos portugueses. Uma das razões poderá estar no facto de o seu consumo sempre ter estado associado ao mundo da tauromaquia e outra estará relacionada com o fornecimento deste produto nos circuitos comerciais que não tem sido considerado financeiramente apelativo para os criadores. A falta de informação sobre as características que diferenciam e podem valorizar este produto coloca aos consumidores algumas dúvidas, nomeadamente perante uma carne que por norma se apresenta marmoreada e a puxar para o vermelho escuro em contraposição com o ‘apelativo’ aspeto rosado dos bovinos criados de forma intensiva e objetivamente para comercialização em larga escala. No entanto, verifica-se atualmente uma crescente e evidente apetência - acentuada desde o início deste novo século - por produtos alimentares que apresentem comprovadamente maior relação com a natureza e, no caso da carne, que sejam provenientes de animais com condições de criação (vida) ‘não agressivas’.

Apontamentos Culturais

 
 
 

24 setembro

Sexta-feira

18h30

Recinto da Feira do Livro

Saxofone Cocktail

Dandy Sax

dandy.jpeg

4 outubro

Segunda-feira

18h00

Recinto da Feira do Livro

Les Globules Bleus

Espetáculo de malabarismo, nova magia e monociclo

FITIJ - Festival Internacional de Teatro e Artes para a Infância

DuoGlobulesBleuS.jpg

5 outubro

Terça-feira

19h00

Recinto da Feira do Livro

Menzo Menjunjes

Um palhaço com humor próprio, absurdo, irónico e provocador

FITIJ - Festival Internacional de Teatro e Artes para a Infância

menzo.jpeg